sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Tenha um Feliz Ano Novo!

Todos os Coroinhas do Grupo São Miguel Arcanjo e a coordenação do Blog Papo de Coroinha desejam a todos um Feliz 2011, agradecemos muito a você que a cada dia, a cada semana têm visitado nosso Blog, e queremos desde já te confiar nossa evangelização você que está lendo esse artigo faz parte do nosso Blog, seja seguidor ou não, que o Senhor que tuda dá aos seus filhos posso nesse ano que esta começando derramar sobre tua vida, sobre tua familia, sobre teu trabalho, sobre a tua Comunidade, tua Igreja local benções espirituais e que nesse ano você possa estar aberto a graça que será dada das mãos do Senhor!
Te desejamos um ótimo 2011 e que todos os seus planos venham da vontade do Senhor, receba dele todos os sonhos e planos que Ele têm que você esse ano, viva cada dia com intensidade, intensidade de cristão que ama o Senhor e tudo faz por esse Deus de amor.
Boas Festas! e não esqueça-se de participar da Santa Missa!

Thiago Calixto

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Quem é este Deus pra nos amar assim?

Saiba como começar bem o ano de 2011


Pular sete ondas, comer lentilha, uvas, nozes... São muitas as superstições, mas neste dia que é o marco do início de um novo ano, certo mesmo é não se apegar em coisas externas, mas sim naquilo que é essencial:  Deus, que dá sentido à vida. “Neste dia que celebramos o nascimento de um novo ano, é preciso que nos coloquemos numa atitude de oração e de comprometimento de fazer em tudo, no ano que está chegando, a vontade do Pai”, ressalta o prefeito de Igreja do Santuário Nacional de Aparecida, padre Rodrigo Arnoso.
No dia 1º de janeiro, a Igreja comemora a solenidade de Maria Santíssima Mãe de Deus, vendo que Nossa Senhora ao cumprir a vontade do Pai, fez-se toda de Deus, e assim, permitiu que Ele encontrasse nela habitação para vir ao encontro da humanidade, por meio do seu filho Jesus. Esse é o grande marco do ano que se inicia, explica o sacerdote.

Perdoar para recomeçar

O início de um novo ano é um momento, para muitos, de reflexão e recomeço; momento mais que oportuno de perdoar os outros e a si mesmo. “O perdão é um exercício que aprendemos diariamente, e se somos pessoas de Deus, nós conseguimos transpor muralhas que nos impedem de chegar ao outro, fazendo a experiência do perdão, do amor misericordioso do Pai”, elucida padre Rodrigo.
O psicólogo Élison Santos complementa: “os dias não vão mudar, o que muda somos nós. A vida nos dá a possibilidade de ter uma nova experiência com o mundo inteiro. Isso tem um valor muito importante psicologicamente”.

Mais família
Em vez do apego em superstições, o padre do Santuário de Aparecida aconselha o resgate da reunião familiar. “Não apenas para comer e beber, mas para partilhar a vida, os sentimentos e a alegria de fazer parte da família de Deus, e ter nessa terra uma família que é nossa primeira comunidade”, enfatiza.
Rever o comportamento, o tratamento dado, em especial, aos familiares é uma atitude fundamental para começar bem o ano, segundo o psicólogo Élison Santos. “Existem pessoas que eu preciso perdoar, na minha família, nas minhas relações de amizade ou profissionais? É preciso propor-se a mudar. Estar em paz com as pessoas é muito importante”, enfatiza.  

Sem dívidas
Buscar negociações, quitar dívidas, rever as finanças são também atitudes importantes para começar bem um novo ano. “O aspecto financeiro é muito importante, particularmente para a vida de um casal”, destaca o psicólogo.

Mais saúde
É hora de fazer um check-up na saúde para saber como está o coração, a visão, a audição... E também é um bom momento para rever os hábitos alimentares para ter mais saúde e disposição, aconselha Dr. Élison.

Novas metas
Com os pés no chão e os olhos no Céu, o psicólogo ressalta que é preciso ter consciência dos compromissos sociais, como pais, filhos, profissionais ou estudantes, pois renovar as esperanças é também planejar. “O que a vida pede de mim em 2011?” é a pergunta fundamental, explica.
Os crescimentos intelectuais, espirituais e afetivos fazem parte do projeto de amadurecimento pessoal, bem como a busca por aperfeiçoamento através de cursos e uma boa formação, fazem parte do crescimento profissional.Cada vida é única e especial, cada um tem um papel essencial na construção de um mundo de paz e fraternidade. “A vida tem sentido à medida que a vemos como missão. Depende de mim, mudar o mundo. Perguntar-se qual o sentido da sua vida para as pessoas que lhe cercam”, são reflexões para este novo ano complementa o psicólogo Élison Santos.

Pe. Rodrigo Arnoso

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

O pazer de viver a castidade

 
Castidade antes do casamento traz mais estabilidade e satisfação!
 O estudo realizado pela Universidade americana Brigham Young demonstrou que a restrição sexual antes do casamento está associada com melhores resultados no relacionamento conjugal. A satisfação com o casamento foi 20% maior entre os casais que esperaram, bem como a qualidade na vida sexual, 15% maior.
Nesta pesquisa, onde 2.035 indivíduos casados foram entrevistados, foi observado que o tempo para o ínico da atividade sexual na vida do casal está relacionado com a sua qualidade sexual atual, comunicação, a satisfação com o relacionamento e a estabilidade.

De acordo com o estudo “Compatibility or Restraint?: The Effects of Sexual Timing on Marriage Relationships" (Em tradução livre: “Compatibilidade ou restrição?: Os efeitos do tempo Sexual nos Relacionamentos Matrimoniais), a educação, o número de parceiros sexuais, a religiosidade e duração do relacionamento estão entre os aspectos mais importantes na vida conjugal.  
Os resultados mostram ainda que o tempo de atraso sexual está associada a um aumento na qualidade da comunicação e nas áreas do relacionamento sexual, bem como a estabilidade das relações percebidas são consistentes com essa teoria. A qualidade da comunicação é 12% melhor entre os casais que viveram a castidade antes do matrimônio.

Os relacionamentos que se baseiam mais em recompensas e prazeres sexuais precoces acabam resultando em relações mais frágeis a longo prazo.
O estudo, publicado na revista científica Family Psychology, da Associação Americana de Psicologia, também mostra que a ambiguidade da iniciação sexual precoce pode comprometer a capacidade de alguns casais para desenvolver uma compreensão clara e comum sobre a natureza das suas relações.
Em contraste, a sexualidade baseada no comprometimento é mais susceptível a criar uma sensação de segurança e sinceridade entre os parceiros dentro de suas redes sociais, trazendo também a ideia da exclusividade e planejamento futuro.
 

sábado, 25 de dezembro de 2010

Homem pode ser imagem de Deus, diz Papa na Missa do Galo

O Papa presidiu a tradicional Missa da Noite do Natal do Senhor - conhecida como Missa do Galo - às 19h (no horário de Brasília - 22h em Roma) desta sexta-feira, 24, na Basílica de São Pedro.

"O homem pode ser imagem de Deus, porque Jesus é Deus e Homem, a verdadeira imagem de Deus e do homem", disse durante a homilia.O Papa começou sua reflexão a partir de um trecho do Salmo segundo - "Tu és meu filho, Eu hoje te gerei" -, usado na cerimônia da coroação do rei de Israel.
Bento XVI afirmou que se tornar rei é uma espécie de novo nascimento, ao mesmo tempo que constitui uma esperança.

"Na noite de Belém, esta palavra profética realizou-se de um modo que, no tempo de Isaías, teria ainda sido inimaginável. Sim, agora Aquele sobre cujos ombros está o poder é verdadeiramente um menino. N’Ele aparece a nova realeza que Deus institui no mundo. Este menino nasceu verdadeiramente de Deus. É a Palavra eterna de Deus, que une mutuamente humanidade e divindade. [...] Precisamente na fragilidade de menino que é, Ele é o Deus forte e assim nos mostra, face aos pretensiosos poderes do mundo, a fortaleza própria de Deus".

Acesse
.: Homilia de Bento XVI na Missa da Noite do Natal do Senhor

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Por que celebramos o Natal?





Por que celebramos o Natal?
Duração: 00:04:55
Data: 23/12/2010
Classificação: Formação
Descrição: A Déia, apresentadora do Bem da Hora, fala do verdadeiro sentido do natal.

Ainda dá tempo de preparar o seu Natal!

Você deve estar pensando: "Meu Deus, como passou rápido o ano, já estamos de novo no Natal! Gente, eu nem vi o ano passar! Parece que os anos estão passando mais rapidamente...". Bom, se o Natal deste ano o pegou nessa situação, certamente é porque você não encontrou tempo para se preparar para ele. Então, que tal começar agora, mesmo em cima da hora, não deixando que este ano seja somente mais um ano? Pelo tempo dedicado à preparação podemos imaginar a consideração e a importância de um acontecimento.
Se você deixa tudo para a última hora e sempre confia que no final dá tempo de improvisar e dar um jeitinho nas coisas, isso mostra que tudo o que vem pela frente tem pouca importância para você – do jeito que as coisas saírem, está bem! O contrário também é válido. Se você se prepara, com antecedência, tudo bem planejado com sentido correto e na expectativa de bem celebrar, esse acontecimento realmente é para você um fato de muita importância.
O tempo que gastamos na preparação anuncia a importância do acontecimento para nós. Por isso, vive bem o Natal quem se prepara para ele. Mas, como me preparar para o Natal? Será que é fazendo as minhas compras, escolhendo bem as roupas e presentes? Antes de tudo isso, você precisa descobrir que o Natal verdadeiro acontece de "dentro para fora". Todas as celebrações e manifestações de carinho são demonstrações externas de um Natal bem celebrado no coração. Isso significa deixar que, por primeiro, o Menino Deus nasça em seu coração. O lugar onde acontece o Natal é no seu coração e não nas vitrines das lojas.
Mas será que isso dói? Não, pode ficar tranquilo. O que sempre acontece com quem deixa o Natal ocorrer dentro de si são mudanças positivas e o amadurecimento da própria fé. Experimente, neste ano, oferecer-se ao Senhor, como o presépio do ano de 2010, dando a Ele toda a liberdade de nascer em você. Isso certamente mudará sua vida. É muito simples e, talvez, por isso, nós adultos tenhamos tanta dificuldade de cultivar em nós a alegria natalina. Nós gostamos de complicar todas as coisas e o Natal é muito simples. Tão simples que se nós não nos prepararmos, deixaremos passar despercebida a graça de ser visitados pelo nosso bom Deus.Prepare-se e experimente! O Natal de quem acolhe o Menino Jesus é sempre um novo Natal. Deixa marcas e lembranças maravilhosas. Acontece quando a Sagrada Família encontra um coração para ficar e fazer aí sua morada. A Luz se faz presente, os anjos cantam “Glória a Deus nas Alturas...” e você se torna para os outros um presépio vivo, sendo na sua própria vida uma testemunha do nascimento de Cristo Jesus. Aí tem sentido trocar presentes e abraços, pois assim o Menino Jesus está no centro desse tempo maravilhoso.
Tenha um Feliz Natal! Isso só depende de você! Prepare-se, será inesquecível!
Padre Fabrício Andrade

Celebrações de Natal com Papa serão transmitidas por internet e iPhone

As celebrações litúrgicas presididas pelo Papa durante o Natal poderão ser acompanhas pela internet e pelo Iphone graças a um acordo feito com a Telecom Itália, em estreita colaboração com o Centro Televisivo Vaticano (CTV).Os sites da Rádio Vaticana, do Pontifício Conselho das Comunicações Sociais e Pope2You são as plataformas que darão acesso ao serviço.

A Santa Missa do Galo (24/12), a Missa de Natal (25/12) e a Missa no Dia Mundial da Paz (1º/01) serão transmitidas em seis idiomas: italiano, francês, inglês, alemão, espanhol e português. A Missa do Galo também será transmitida em chinês e a celebração do dia 1º em árabe. Além disso, também haverá um canal de áudio sem comentários, somente com as imagens ao vivo.O serviço é possível graças à plataforma tecnológica Content Delivery Network, da Telecom Italia, que permite a distribuição rápida e eficaz dos conteúdos multimídia através da web e do iPhone em todos os países do mundo.As celebrações também serão transmitidas pelo Sistema Canção Nova de Comunicação. Você confere os horários das transmissões acessando CN Noticias.

Um Feliz Natal!

A cidade de Jesus já está preparada para o Natal

A cidade de Jesus, Belém, na Terra Santa, está preparada para o Natal. Esta é o data mais esperada do ano, pois a cidade, mais do que nunca, se torna o centro da atenção do mundo. Na praça da Basílica da Natividade, uma cerimônia ilumina a tradicional árvore da paz.
Padre Stephane Milovich, ofm, guardião da Basílica da Natividade, diz esperar que o Menino Jesus, Salvador do mundo, possa nascer no coração de todos. “Desta forma, será verdadeiramente Natal”, explica o sacerdote.

Assista ao vídeo e veja como Belém se prepara para o Natal:
 

Um feliz Natal!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Papa e camisinha: Congregação para a Doutrina da Fé publica nota


A Congregação para a Doutrina da Fé (CDF), do Vaticano, publicou uma Nota sobre a banalização da sexualidade, a propósito de algumas leituras equivocadas feitas do livro-entrevista de Bento XVI, Luz do Mundo.
O texto vai publicado na edição do L’Osservatore Romano desta quarta-feira, 22, e foi disponibilizado pela Sala de Imprensa da Santa Sé em seis línguas.

Acesse
.: Nota da CDF sobre banalização da sexualidade

No capítulo de Luz do Mundo dedicado à sexualidade humana, o Papa fala sobre prostituição. Acerca dessa realidade, o Pontífice ressalta que, quem sabe que está infectado pelo HIV e pode transmitir a infecção, põe em sério risco a vida de outra pessoa, com repercussões ainda na saúde pública.

"Pode haver casos individuais justificados, por exemplo, quando uma prostituta usa um preservativo, e esse pode ser o primeiro passo rumo a uma moralização, um primeiro ato de responsabilidade para desenvolver de novo a consciência do fato de que nem tudo é permitido e que não se pode fazer tudo o que se quer. No entanto, essa não é a maneira verdadeira e adequada para vencer a infecção do HIV. É verdadeiramente necessária uma humanização da sexualidade", explicou Bento XVI no livro.
De acordo com a Nota da CDF, as palavras do Papa não constituem uma alteração da doutrina moral nem da práxis pastoral da Igreja, conforme já havia salientado o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, padre Federico Lombardi, em nota oficial.

"Foram difundidas diversas interpretações não corretas, que geraram confusão sobre a posição da Igreja Católica quanto a algumas questões de moral sexual. Não raro, o pensamento do Papa foi instrumentalizado para fins e interesses alheios ao sentido das suas palavras, que aparece evidente se se lerem inteiramente os capítulos onde se alude à sexualidade humana. O interesse do Santo Padre é claro: reencontrar a grandeza do projeto de Deus sobre a sexualidade, evitando a banalização hoje generalizada da mesma", explica a Congregação vaticana.

O texto ainda salienta que o Santo Padre nunca disse que a prostituição com o uso de preservativo pode ser licitamente escolhida como mal menor, conforme foi sustentado por alguns grupos.

"A Igreja ensina que a prostituição é imoral e deve ser combatida. Se alguém, apesar disso, pratica a prostituição mas, porque se encontra também infectado pelo HIV, esforça-se por diminuir o perigo de contágio inclusive mediante o recurso ao preservativo, isto pode constituir um primeiro passo no respeito pela vida dos outros, embora a malícia da prostituição permaneça em toda a sua gravidade", diz a Nota.
A Nota da CDF coloca em destaque o fato de que o Bispo de Roma não fala da moral conjugal ou da norma moral sobre a contracepção, mas do caso completamente oposto da prostituição, que a moral cristã sempre considerou gravemente imoral.

"A ideia de que se possa deduzir das palavras de Bento XVI que seja lícito, em alguns casos, recorrer ao uso do preservativo para evitar uma gravidez não desejada é totalmente arbitrária e não corresponde às suas palavras nem ao seu pensamento", esclarece.
Sobre a luta contra o HIV, o texto conclui indicando que os membros e instituições da Igreja devem acompanhar as pessoas e formar para a abstinência antes do matrimônio e a fidelidade dentro do pacto conjugal:
"A este respeito, é preciso também denunciar os comportamentos que banalizam a sexualidade, porque [...] são eles precisamente que representam a perigosa razão pela qual muitas pessoas deixaram de ver na sexualidade a expressão do seu amor".

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Então é Natal...

Mas um ano termina, outro começa a chegar e com ele chegam também novos sonhos, planos, aspirações e desejos de fazer o mundo melhor. As ruas iluminadas, as casas decoradas, a troca de cartões e presentes nos contagiam. Há um clima diferente no ar que nos envolve e faz nosso lado melhor vir à tona. Gestos de ternura e perdão são espontâneos e votos de felicidades voam distâncias e cruzam mares para chegar aos corações.
Então é Natal! A esperança volta a brilhar nos horizontes, nos lares e na alma de cada um que se deixa contagiar pelo encanto desta época de paz, amor e luz. E é precisamente no contexto deste tempo que somos convidados a vivenciar o Mistério do nascimento de Cristo.
 

Acredito que quando celebramos o Natal algo diferente acontece dentro de nós e nos contagia, inclinando-nos à mudança, à simplicidade e à busca do essencial.
Lembro-me de que, quando eu era criança, gostava muito de ouvir as histórias a respeito do nascimento de Cristo. Depois das narrativas que sempre apresentavam diferentes versões, eu ficava tentando entender, com minha ingênua razão, por que Deus, sendo assim tão grande e podereso, foi nascer justamente em um lugar tão simples. Fui crescendo no conhecimento e encontrando respostas para a questão, mas a verdade é que elas não calam o meu coração. Não consigo ver o presépio apenas como decoração de Natal. Principalmente porque suas figuras nos falam e nos desafiam à construção de um mundo melhor.
No centro do presépio dois bracinhos de criança, que se abrem em nossa direção, cheios de ternura e de paz, nos ensinam que é abrindo os braços na direção do outro que construímos um feliz ano novo e uma feliz vida nova. Discreto e sereno lá está também José, figura tão importante no nascimento de Cristo. Homem simples, trabalhador, como tantos entre nós. Dedicação, pureza, humildade e obediência a Deus movem seu coração e conduzem suas atitudes. É com razão que padre Zezinho afirma, em uma das suas inúmeras canções, que "O mundo seria bem melhor se todo pai fosse José [...]". Ainda no presépio encontramos Maria refletindo a serenidade, a luz e a paz de que a humanidade tanto precisa. Sua ternura materna irradia e consola o coração de filhos aflitos que a contemplam, buscando aprender com ela o jeito de corresponder a Deus.
E quando vamos a caminho do presépio também nos deparamos com os Reis Magos. Eles também nos ensinam, pois envolvidos pelo encanto do Natal, trazem em suas mãos: ouro, incenso e mirra, ou seja, o que tinham de melhor para oferecer. Certamente é próprio do tempo natalino oferecermos ao outro aquilo que temos de melhor. Não falo de bens materiais, aliás, os presentes de Natal só têm sentido se simbolisam o amor que nos move a doá-los e nunca podem ocupar o centro das celebrações. Natal é tempo de oferecer o que temos de melhor sim, e o que temos de melhor habita dentro de nós, não se vende nem se compra, só pode ser oferecido. Procuremos, portanto, oferecer hoje nosso melhor sorriso, o abraço mais caloroso, a palavra mais afavel e amemo-nos uns aos outros sem esperar nada em troca.
É tempo de nos deixarmos envolver pela eterna simplicidade, alegria e pureza do presépio, expressas nos bracinhos abertos do Menino Jesus. Assim, verdadeiramente o Natal estará acontecendo em nossa vida e haverá paz na terra e em nossos corações!

Dijanira Silva

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010



 

Presente: essa talvez seja a primeira palavra...

Presente: essa talvez seja a primeira palavra que venha à nossa cabeça quando lembramos do dia 25 de Dezembro, ou como a maioria lembra, do Natal.
Sei que você já deve ter lido sobre esse assunto em muitos lugares por aí falando que o Natal é um tempo de alegria não por causa dos presentes ou só porque a família se reúne em torno de uma mesa para comer a ceia natalina. Mas sim, por causa daquele que nasceu no dia 25 deste mês, um menino que nos livraria de todo o pecado e de toda a condenação, e o meu texto não vai ser muito diferente.Infelizmente isso ocorre pelo simples fato de que o comércio conseguiu de uma maneira esperta manipular o verdadeiro sentido do Natal. E isso faz com que esperemos não outra coisa, a não ser presente, ainda mais que todos estão com o 13º salário no bolso (pelo menos a maioria).

Neste Natal, que está sendo bem diferente para mim, pois vou passá-lo pela primeira vez longe de meus pais, estando aqui na Canção Nova - meu novo lar-, posso te revelar que não está sendo muito diferente. Na maioria das vezes me pego pensando na roupa, no calçado ou em outro objeto que gostaria de ter e que alguém que soubesse desse desejo me presentearia, mas não posso pensar só nisso, mas sim, que no exato momento que for acontecer a virada da noite do dia 24 para o dia 25, a maioria das promessas do antigo testamento estavam se realizando e eu sendo salvo a mais 2000 anos atrás.
Por isso, quando a maioria das pessoas estiverem bebendo champagne e abrindo os seus presentes, eu me esforçarei para me lembrar que Maria andou com dores em cima de um burro num longo caminho para dar a luz e assim cumprir o que fora prometido antes. Isso com certeza vai me trazer uma alegria muito grande. E com esta verdadeira alegria, comemorarei com os meus irmãos o Natal de Cristo e o primeiro presente que ganhei antes mesmo de nascer: a liberdade.

Desejo a você um Feliz Natal e que todos possam lembrar no exato momento, das promessas feita no Antigo Testamento e de tudo que ocorreu depois do nascimento desse Menino até hoje.

Éder Pires de Brito

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Stand-up comedy Católico

Ivanildo Silva missionário da Comunidade Obra de Maria emplaca seu mais novo projeto, o show “Viver de Rir” com a proposta de fazer humor de verdade em tempos de mentira. No estilo de stand-up comedy, o show promete mais de uma hora de humor com coisas do cotidiano e se compromete a arrancar risos sem imoralidade, o que não se encontra em apresentações do gênero.
Desde criança sempre gostou de contar piadas. Com a experiência religiosa encontrou um campo diferenciado para trabalhar o seu dom e através de contos e causos percebeu que o humor era a melhor forma de falar sério. Em 2001 surge a Dupla DDD (Ambrósio e Grampulino), personagens de evangelização que levam a cultura nordestina através da musicalidade e da irreverência, em shows por todo Brasil e no exterior. Hoje a Dupla tem 2 Cds Gravados, sendo o primeiro, disco de ouro duplo com mais de 100 mil cópias vendidas.
Com lançamento no dia 23 de julho no auditório da Igreja da Soledade (Recife – PE) o evento foi um sucesso e contou com uma sessão extra. A renda captada com esse show é destinada a projetos da Comunidade Obra de Maria que mantém unidades com obras sociais e de promoção humana.
Viver de rir, porque morrer ninguém quer.
Ótima opção de lazer e entretenimento para toda a família!

Leve para a sua cidade:
Contatos: mara@obrademaria.com.br ou (81) 3222-8927

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Desordenada cobiça por tudo: AVAREZA

Avareza é oposto à generosidade. Uma pessoa avarenta tem medo em perder algo que possui e dificuldade de abrir mão do que tem mesmo que receba algo em troca. Acha que perder algo pode ser um desastre e tem cuidado com seus pertences como uma pessoa egoísta.
A avareza é tomada também como desordenada cobiça de quaisquer bens e, neste sentido, é um pecado genérico, pois todo pecado é um voltar-se desordenadamente a algum bem passageiro. Assim a avareza é tomada em sentido geral, como desordenado afã de "ter" uma coisa qualquer, e em sentido específico, pelo afã de propriedade de posses que se resumem todas no dinheiro 

Pe. Paulo Ricardo

A preocupação da Igreja com a Doutrina


Podemos notar que nas Cartas pastorais que São Paulo escreveu a S.Timóteo e a S.Tito, a quem ordenou bispos, a grande preocupação do Apóstolo é com a doutrina, para que essa não se corrompesse com o passar do tempo e com a transmissão oral ou escrita. Veja essas passagens:
"Torno a lembrar-te a recomendação que te dei... para impedir que certas pessoas andassem a ensinar doutrinas extravagantes..."(1Tm1,3).
"Recomenda esta doutrina aos irmãos, e serás bom ministro de Jesus Cristo, alimentando com as palavras da fé e da sã doutrina...(1Tm4,6).
"Quem ensina de outra forma... é um obcecado pelo orgulho, um ignorante...(1Tm6,3-4).
"Ó Timóteo, guarda o bem que te foi confiado!"(1Tm6,20).
"Guarda o precioso depósito!" (2Tm1,14).
"Porque virá tempo que os homens já não suportarão a sã doutrina da salvação" (2Tm4,3).
A S.Tito, vemos as mesmas recomendações de S.Paulo. Falando das qualidades que deve ter o bispo, ele diz:
"...firmemente apegado à doutrina da fé tal como foi ensinada, para poder exortar segundo a sã doutrina e rebater os que a contradizem"(Tt 1,9).
"O teu ensinamento, porém, seja conforme a sã doutrina...(Tt 2,1).
"...mostra-te em tudo modelo de bom comportamento: pela integridade da doutrina,..."(Tt 2,7).
"Certa é esta doutrina, e quero que a ensines com constância e firmeza..."(Tt 3,8).
Na sua grande preocupação com a sã doutrina, S.Paulo diz aos gálatas, com toda severidade:
"Não há dois evangelhos: há pessoas que semeiam a confusão entre vós e querem perturbar o Evangelho de Cristo. Mas, ainda que alguém - nós, ou um anjo baixado do céu - vos anunciasse um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que ele seja anátema [maldito]. Repito aqui o que acabamos de dizer: se alguém pregar doutrina diferente da que recebestes, seja ele excomungado!"(Gal 1,7-10).
Ao longo da sua história a Igreja realizou 21 Concílios Ecumênicos (universais) para manter intacta essa "sã doutrina". Foram muitas vezes momentos difíceis para a Igreja, porque, por não aceitar a verdade muitos irmãos se separaram da unidade católica; mas foram momentos de luzes para a caminhada da Igreja.
Falando desses Concílios, disse o Papa João Paulo II:
"Os grandes Concílios foram momentos de graça para a vida da Igreja universal ... Eles representam um ponto de referência indiscutível para a Igreja universal".
"Esses foram momentos de graça, através dos quais o Espírito de Deus concedeu luzes abundantes sobre os mistérios fundamentais da fé cristã" (L´Osservatore Romano, nº 28, 13/7/96).

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010


Nesta segunda-feira, 13, a Pastoral Carcerária (PCr), da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) foi agraciada no 16º Prêmio Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) em reconhecimento por seu trabalho de combate à tortura nas prisões.
O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, esteve presente na cerimônia realizada no Planalto, em Brasília, que prêmiou outras seis entidades agraciadas.

De acordo com o coordenador nacional da Pastoral Carcerária, padre Valdir João Silveira, o prêmio reconhece o difícil trabalho desempenhado pelos mais de 6 mil agentes da Pastoral em todo o país. “O prêmio é sem dúvida alguma, um importante reconhecimento da luta difícil e desgastante que a Pastoral trava dia após dia com o fim de levar o mínimo de dignidade àquelas e àqueles que estão esquecidos, invisíveis, sob a sombra mais escura e remota de nossa sociedade”, salientou.
No entanto, padre Valdir destaca que além das premiações, o Governo deve prezar pela garantia dos direitos dos presos. “Esperamos das autoridades governamentais postura firme no sentido de esvaziar as prisões, e garantir os direitos de quem está preso”, diz.


Uma Terra renovada!


Esta é uma promessa de Deus! A grande proclamação do Antigo Testamento:
"Com efeito, vou criar céus novos e uma terra nova […]" (Isaías 65,17a).

Ao fazer essa promessa, o Senhor não está se referindo a um símbolo, mas a algo real. Aliás, esta afirmação: "céus novos e uma terra nova" acompanha a Bíblia inteira. Entra pelo Novo Testamento, passa por Jesus, pelos Atos dos Apóstolos, pelas cartas de Pedro, de Paulo e chega ao Apocalipse.
Não se trata, portanto, de conclusão teológica, mas de verdade revelada pelas Sagradas Escrituras, em várias passagens. O Senhor assim o fez para termos a certeza de uma terra nova. Para vivermos nessa expectativa.

Nós católicos costumamos “jogar” tudo para o céu: quando morrermos e depois no final de todas as coisas, vamos todos para o céu e terminou! Se fosse assim, o Senhor não precisaria insistir em dizer, na Bíblia inteira, que a terra em que estamos será renovada.

Depois que o pecado entrou no mundo, de tal maneira fomos envolvidos por uma nuvem negra, poluída e cáustica, que só conhecemos a subvida que vivemos. Na verdade, o que estamos tendo não era o que Deus queria para nós. Esta terra não foi criada assim! A Bíblia nos mostra isso. O pecado, essa infâmia que o inimigo de Deus trouxe para nós e para a nossa terra, foi que a deixou desta maneira. E o maligno é tão vil, que nos anestesia e não percebemos o que estamos vivendo. Imagine-o pegando um doente, um canceroso, por exemplo, cheio de dores, e anestesiando o coitado com “cachaça”, e de má qualidade.

É isso que o inimigo faz conosco para não percebermos a desgraça a que ele nos levou. Mas o Senhor nos dá a certeza de que quando chegarmos ao céu novo e à terra nova as coisas serão totalmente diferentes:

"[…] com efeito, a exultação que vou criar será Jerusalém, e o entusiasmo será o seu povo; sim, exultarei por Jerusalém, e estarei entusiasmado com meu povo!" (Is 65,18b-19a).
A alegria e o entusiasmo que sentiremos serão imensos quando o Senhor nos der o que está reservando para nós. 
  

A devoção a Santa Luzia

O nome de Santa Luzia deriva do latim e significa: Portadora da luz. Ela é invocada pelos fiéis como a protetora dos olhos, que são a "janela da alma", canal de luz.

Ela nasceu em Siracusa (Itália) no fim do śeculo III. Conta-se que pertencia a uma família italiana e rica, que lhe deu ótima formação cristã, a ponto de ter feito um voto de viver a virgindade perpétua. Com a morte do pai, Luzia soube que sua mãe, chamada Eutícia, a queria casada com um jovem de distinta família, porém, pagão.
Ao pedir um tempo para o discernimento e tendo a mãe gravemente enferma, Santa Luzia inspiradamente propôs à mãe que fossem em romaria ao túmulo da mártir Santa Águeda, em Catânia, e que a cura da grave doença seria a confirmação do "não" para o casamento. Milagrosamente, foi o que ocorreu logo com a chegada das romeiras e, assim, Santa Luzia voltou para Siracusa com a certeza da vontade de Deus quanto à virgindade e quanto aos sofrimentos pelos quais passaria, assim como Santa Águeda.

Santa Luzia vendeu tudo, deu aos pobres, e logo foi acusada pelo jovem que a queria como esposa. Não querendo oferecer sacrifício aos falsos deuses nem quebrar o seu santo voto, ela teve que enfrentar as autoridades perseguidoras. Quis o prefeito da cidade, Pascásio, levar à desonra a virgem cristã, mas não houve força humana que a pudesse arrastar. Firme como um monte de granito, várias juntas de bois não foram capazes de a levar (Santa Luzia é muitas vezes representada com os sobreditos bois). As chamas do fogo também se mostravam impotentes diante dela, até que por fim a espada acabou com vida tão preciosa. A decapitação de Santa Luzia se deu no ano de 303.

Conta-se que antes de sua morte teriam arrancado os seus olhos, fato ou não, Santa Luzia é reconhecida pela vida que levou Jesus - Luz do Mundo - até as últimas consequências, pois assim testemunhou diante dos acusadores: "Adoro a um só Deus verdadeiro, e a Ele prometi amor e fidelidade".

Santa Luzia, rogai por nós!

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Assista celebração da Imaculada Conceição, presidida por Bento XVI

O que significa: Imaculada Conceição de Maria

Em 1854, o Papa Pio IX definiu o dogma da Imaculada Conceição da Virgem Maria, através da bula Ineffabilis Deus.
As raízes dessa devoção se reportam ainda aos primeiros séculos da Cristandade. Já os Padres da Igreja do Oriente, de fato, ao exaltar a Mãe de Deus, usavam expressões que a colocavam acima do pecado original.
No entanto, qual é exatamente o significado desse dogma e como não confundi-lo com outros títulos referentes a Maria? A seguir, confira a explicação do mariólogo padre Stefano De Fiores.

Padre Stefano: É preciso evitar um equívoco: o de confundir a Imaculada Conceição, que diz respeito à pessoa de Maria, no primeiro instante de sua existência, com a virgindade de maria, que, ao contrário, é uma decisão na sua vida, quando está consciente, portanto, quando já cumpriu um bom caminho de anos, ao menos até a sua adolescência.
E poderíamos dizer que a Imaculada Conceição é isso: não é um privilégio que distancia Maria de nós, porque, antes das diferenças, está a igualdade. A igualdade está nisso: tanto Maria quanto nós somos redimidos em Cristo. Nós somos redimidos mediante a libertação do pecado, enquanto, para Maria, trata-se de uma preservação do pecado original, isto é, Jesus foi perfeitíssimo mediador para Maria enquanto não esperou que ela caísse em pecado para depois absolvê-la, mas a sua graça redentora foi tão forte a ponto de impedir que Maria caísse no pecado.

Pergunta: Como compreender, portanto, neste sentido, o livre arbítrio de Maria?
Padre Stefano: Maria foi protegida pela graça de maneira toda especial, mas essa graça não tolhe a liberdade, porque Deus não pode tratar a nós – por Ele criados livres – como se não fôssemos livres! E, de fato, a Maria é pedido o consenso para a Encarnação do Filho de Deus. Ela teria podido dizer ‘não’: sustentada pela graça, pôde dar aquele sim completo, total, perfeito de disponibilidade “sem qualquer peso de pecado”, diz o Concílio Vaticano II. E, portanto, com a plenitude da sua humanidade, pôde aderir a Deus entregando toda a sua vida à Palavra de Deus, à promessa que Deus havia feito de torná-la Mãe do Filho de Deus.

Pergunta: De que modo ler, viver a presença desta festividade na imediata proximidade do natal?
Padre Stefano: No Advento, nós temos a preparação que vem do profeta Isaías com o seu invencível otimismo, que nos leva a trabalhar por um mundo novo, por um mundo de paz. Depois, vem João Batista, que nos faz ver que é a via da conversão que pode verdadeiramente levar-nos à salvação; enfim, eis que vem Maria como a preparação radical para a vinda do Messias. De fato, Maria ensina-nos a plena disponibilidade, portanto, Maria é a preparação mais perfeita para que possamos acolher verdadeiramente o Verbo de Deus que se fez carne. Assim, como diz Bento XVI, agora não podemos mais fazer teologia sem mariologia, porque o nosso Deus é o Deus encarnado no ventre da Virgem Maria por obra do Espírito.

Conheça mais sobre a Imaculada Conceição de Maria

 

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

PAPO NEWS



A grande maioria dos brasileiros continua sendo contrária à legalização do aborto. De acordo com pesquisa do Instituto Vox Populi – encomendada pelo Portal iG – divulgada neste domingo, 5, 82% dos entrevistados são contra mudanças na normativa jurídica que regula o tema.

Do total de 2.200 pessoas entrevistadas, 1.760 acreditam que a legislação deve continuar da forma atual. Somente 14% dos entrevistados (308) são favoráveis à descriminalização da prática e 4% (88) não possuem uma opinião formada sobre o assunto ou não responderam.

Para o Arcebispo de São Paulo, Cardeal Odilo Pedro Scherer, o resultado corresponde aos sentimentos dos brasileiros, não somente por causa da influência religiosa no país, mas por suas convicções éticas e morais a respeito da vida. “Este é um dado muito positivo. Mostra que muitas pessoas, mesmos as não religiosas, são sensíveis a este tema e acreditam que o ser humano não é um objeto que se possa expor”, salienta o cardeal.

Dom Odilo destaca ainda que a luta contra o aborto não é uma questão apenas religiosa, mas diz respeito a preservação dos direitos humanos, e a Igreja tem cumprido bem seu papel nesta luta. “Esse resultado nos anima a continuar nossos esforços para influênciar a cultura dos brasileiros em favor da vida e da ética”, enfatiza. 

Mais que uma questão religiosa

As regiões Norte e Centro-Oeste concentram a maior taxa de pessoas que defendem a manutenção da prática na lista de crimes do Código Penal brasileiro – 89% do total. Já o Sudeste apresenta o menor índice, ainda assim elevado, onde 77% são contra a interrupção da gravidez.A pesquisa também salientou que a defesa da descriminalização do aborto é mais perceptível na opinião de moradores de grandes cidades (19%) do que na de habitantes de pequenos municípios (9%).

O índice de rejeição à prática do aborto é maior entre eleitores com nível superior e alcança seu cume entre eleitores que se dizem religiosos (86% dos evangélicos são contrários). No entanto, não há mudanças substanciais nos quesitos gênero, idade ou renda.

Os altos patamares de rejeição à prática do aborto são os mesmos entre eleitores de Dilma e Serra (82%) e são constatados tanto entre eleitores religiosos quanto entre os que dizem não ter religião (78%), indicativo de que o tema não está necessariamente vinculado a sentimentos religiosos.
Para 72% das pessoas, o futuro governo da presidente Dilma Rousseff não deveria sequer propor alguma lei que descriminalize o aborto – a posição é compartilhada por católicos (73%), evangélicos (75%) e membros de outras religiões (69%).
 Leonardo Meira, com colaboração de Nicole Melhado
Da Redação, com informações da pesquisa Vox Populi e iG

domingo, 5 de dezembro de 2010

Unidade, Fraternidade e Comunhão!


A unidade, a fraternidade e a comunhão precisa fazer parte do grupo que participo, são pilares que fazem um grupo ir mais longe, gostaria de trocar nesse texto a palavra 'grupo' pela palavra 'familia' o testemunho nos leva a isso, pois participando de um grupo, sendo membro dele eu ganho uma nova familia que será uma benção de Deus! Cada um têm seu chamado para a Comunidade, chamado esse que é diferente para cada pessoa, a nossa identificação pessoal com aquele determinado grupo precisa ser levado em conta juntamente com a necessidade da Comunidade, somos uma familia e ser grupo e ser comunidade é isso, é estar junto, é estar ali atento a necessidade dos irmãos.

UNIDADE
A unidade precisa ser vivida em cada grupo, é preciso que aquelas sete, doze, vinte pessoas estejam em união entre si, é insuportável partcipar de um determinado grupo que esta dividido, e cada um acaba se fechando em seu 'mundinho', sem união não existe comunidade, é a unidade que faz um grupo é a unidade que faz uma paróquia, uma Diocese isso é Igreja Católica que até hoje vive em unidade, isso é uma das coisas que mais amo na minha Igreja a Unidade! pois o que Cristo uniu nenhum homem separa, e o que é um grupo se não for uma união de pessoas em Cristo, faça com que a unidade reine em seu grupo, pois assim daram tremendamente glória a Deus! um grupo unido vai longe, muito longe...

FRATERNIDADE
A fraternidade têm que ser levada por cada grupo independente de sua espiritualidade e missão, temos que ser fraternos com os membros do nosso grupo, o coordenador têm que ser fraterno com os membros de seu grupo e os membros precisam exercer de fraternidade para com seu coordenador, os nosos grupos têm precisado disso, as vezes os grupos acabam de repende porque aquele agrupamento de pessoas não se entendem, não se compreendem e querem mais é jugar é apontar o erro do coordenador ou de algum membro! não! Isso é um erro, viva a fraternidade com aquele que falta aos encontros, com aquele que se nega a alguma missão no grupo, porque antes de tudo temos que conhecer a vida e a situação de todos esses isso é faternidade em grupo! ajudem-se mutuamente, diz o Senhor.

COMUNHÃO
A tão falada comunhão precisa ser vivida, colocada em prática, a comunhão precisa está viva entre os membros de um grupo, cada um precisa procurar saber onde mora esse irmão de grupo, saber como está seu irmão de grupo, somos um grupo somos familia, é necessario esse conhecimento de cada membro, o coordenador precisa ter mais contato com seus 'confiados' e os membros com seu coordenador, os grupos  tornam-se frios porque ninguém ali verdadeiramente conhece aquele que está ao lado durante uma reunião pois estão ali durante aquela hora e nada mais, temos que ser grupo, ser amigos, ser familia, ser em Cristo comunhão e estando em comunhão seremos mais! muito mais!

Thiago Calixto
Coordenador do GCSMA

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Juventude AMA Jesus!


Quando o mundo diz que os jovens são o futuro, não o diz apenas porque somos os adultos de amanhã, nem para fugir da própria responsabilidade ou para transferir aos jovens algo concreto e sério a fim de que eles amadureçam. Por trás desta afirmativa está uma crença muito forte que diz estar na juventude o potencial de mudança. A cabeça dos jovens planeja o futuro. Esta geração é um celeiro de idéias. O mundo confia não só na imaginação, mas na capacidade dos jovens!
Quando se acredita que os jovens podem mudar o mundo é porque o potencial de realizar vai além do imaginar. Sua disposição e seu vigor alimentam a semente dos sonhos e aspirações de um mundo novo.
Ser o futuro é muito mais que ser o povo de amanhã; é ser o pai e a mãe, o professor e o médico, o engenheiro e o advogado, o padre, o consagrado...
Ser o futuro é hoje imaginar, sonhar, projetar, mais que isso, empenhar-se em realizar.
Desde a época dos nossos pais se diz que os jovens são o futuro do Brasil. O mundo projeta na juventude a promessa de um mundo melhor. Neles se coloca a expectativa de que as coisas sejam diferentes. A esperança nos jovens sempre foi assim. Os jovens são o futuro do país, o mundo fala isso em todas as línguas. A sociedade espera da juventude o que não pôde realizar; espera de nós o que desistiu de tentar; espera que tenhamos a coragem que muitos não tiveram. Espera tudo isso porque sabe que a ousadia é própria dos jovens.
Percebemos, então, que nós não podemos mudar o mundo. Que toda esta expectativa, mais dia menos dia será frustrada. Tantos planos e projetos não se realizarão por nossas mãos. E quanto mais o tempo passa percebemos quão verdadeiras são as nossas limitações e quanto já se passou sem que fizéssemos algo grandioso.Toda esta expectativa de mudança é reflexo de um mundo que deseja a vida eterna. Espera-se que alguém ou algo de alguma forma se manifeste e que aconteça logo. Por isso a geração seguinte. Por isso pessoas diferentes das que eles já conhecem. Por isso jovens tão ousados e corajosos, tão criativos e livres.
Bem que devíamos ter protestado contra essa idéia quando tínhamos apenas doze anos e escutamos esta frase pela primeira vez... Ou poderíamos ter esquecido tudo isso, sem impor, a nós mesmos, tamanha responsabilidade.
Mas, temos que encarar o futuro. E para concretizá-lo precisamos viver bem o presente. O mundo canta: “deixa acontecer naturalmente...” Nós, porém, como jovens cristãos, somos chamados a viver sobrenaturalmente. Aderindo aos planos de Deus promovemos a transformação do mundo. Conformado-nos à Sua vontade, mudando nosso presente, nos projetamos num amanhã completamente novo. Afinal, Cristo é a eterna novidade.
Quando somos plenamente jovens já somos santos, pois somos aquilo que Deus quer que sejamos. Nós respondemos! Mas, é Ele quem nos leva, nos impulsiona para o futuro, nos lança em águas mais profundas, nos capacita e Sua Vontade acontece. Ser jovem, é ser o que Deus pensa de nós como nos ensinou Teresa, a santa jovem de Lisieux. Quando somos jovens, vivemos o presente ao passo que renovamos a promessa de ser o futuro.
A esperança não é apenas dos nossos pais, professores, da sociedade ou dos nossos amigos, mas, principalmente, de Deus, que nos constitui seus filhos pelo Filho para n’Ele revelarmos o Pai e a esperança na vida eterna.
É próprio do ser humano desejar a plenitude, sonhar com o eterno, com o perfeito. E nós que conhecemos a Deus, o Perfeito, o Pleno, o Eterno, o Amor, testemunhamos como seus filhos este Céu.
Vivendo esta filiação realizaremos mudanças maiores que o que poderíamos planejar. Com Ele a nossa frente percorremos todos os caminhos. Vivemos uma juventude reconstruída pelo Amor e sem medo testemunhamos que a esperança é Cristo e que é esta esperança que nos faz ser jovens. Não uma juventude “de idade”, porque essa passa. Mas a juventude de esperar em Deus.
Com muita tranquilidade vamos acolhendo esta missão pessoal de mudar o mundo e de resplandecer a esperança no Cristo. Testemunhamos para o mundo a liberdade de não apenas esperar, mas de depender totalmente de Deus. Assim, o mundo poderá deixar de esperar dos jovens, passando a desejar ser jovem, porque jovem é aquele que se lança e ousa em Deus. E com tantos jovens o mundo poderá ser transformado. A esperança de que isto aconteça no futuro poderá ser vivida no presente. O que era distante e apenas promessa passa a ser real. E tudo isso não podemos entender, mas em Cristo podemos viver a esperança de ser o futuro.

Lorena Soares
Missionária da Com. Católica Shalom

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Precisamos estar prontos para o encontro com o Senhor!
O Ano Litúrgico gira em torno das duas grandes festas do mistério de nossa salvação: o Natal e a Páscoa. A fim de nos prepararmos bem para essas duas solenidades de máxima importância, a Santa Igreja, com seu amor de mãe e sua sabedoria de mestra, instituiu o Advento, que nos predispõe para o Natal e a Quaresma e nos prepara para a Páscoa. Praticamente um mês e meio de Advento-Natal e três meses de Quaresma-Páscoa. O tempo chamado “Comum”, durante o ano, ajuda-nos a caminhar com a Igreja nas estradas da história, iluminados por esses mistérios de nossa fé e conduzidos pelo Espírito Santo.
Iniciamos o tempo do Advento, que assinala também o início de um novo Ano Litúrgico. No decurso dos quatro domingos do Advento, o povo cristão é convidado para preparar os caminhos para a vinda do Rei da Paz. O Cristo Senhor, que, há dois mil anos, nasceu como homem numa manjedoura em Belém da Judeia, deseja ardentemente nascer em nossos corações, conforme as santas palavras da Sagrada Escritura: "Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, eu entrarei na sua casa e tomaremos a refeição, eu com ele e ele comigo" (Ap 3, 20).
No Advento temos a oportunidade de nos aprofundar na expectativa do "Senhor que virá para julgar os vivos e os mortos" e na semana que antecede a festa natalina a preparação próxima para celebrar o "Senhor que nasceu pobre no Oriente". Entre essas duas vindas, o cristão celebra, a cada dia, o seu coração que se abre para o “Senhor que vem” em sua vida e renova a sua existência.
Celebrar o Natal é reconhecer que "Deus visitou o seu povo" (cf. Lc 7, 16). Tal reconhecimento não se pode efetivar somente com nossas palavras. A visita de Deus quer atingir o nosso coração e transformar-nos desde dentro. A tão desejada transformação do mundo, a superação da fome, a vitória da paz e a efetiva fraternidade entre os homens dependem, na verdade, da renovação dos corações. Somos convidados, em primeiro lugar, a aprender a "estar com Jesus", e então nossa vida em sociedade verá nascer o Sol da Justiça.
O Advento constitui precisamente o tempo favorável para a preparação do nosso coração. Deixemo-nos transformar por Cristo, que mais uma vez quer nascer em nossa vida neste Natal. Celebrar bem a solenidade do Natal do Senhor requer que saibamos apresentar a Deus um coração bem disposto, pois "não desprezas, ó Deus, um coração contrito e humilhado" (Sl 51, 19). Um coração que busca com sinceridade a conversão é fonte de inestimável comunhão com o Senhor e com os irmãos. Neste tempo de Advento não tenhamos medo de Cristo. "Ele não tira nada, Ele dá tudo".

Dom Orani João Tempesta

CONHEÇA: Formação Religiosa


Somente em Jesus Cristo, presente entre nós, pode haver salvação!
 O culto da exposição, ousamos afirmar, é a necessidade de nossa época; impõe-se esse testemunho público e solene da fé dos povos na divindade de Jesus Cristo e na veracidade de Sua presença sacramental. É a melhor refutação que se pode fazer aos renegados, aos apóstatas, aos ímpios e aos indiferentes, refutação que cairá sobre eles qual montanha de fogo do amor e da bondade.
O culto da exposição é necessário para salvar a sociedade, que morre por não ter mais um centro de verdade nem de caridade, tampouco de vida de família. Cada membro se isola, se concentra, procura bastar a si mesmo; a dissolução é iminente.

A sociedade renascerá, entretanto, cheia de vigor, quando todos os seus membros vierem se reunir em torno de nosso Emanuel (cf. Mt 1,23). É mister refluir à fonte da vida, a Jesus na Eucaristia, fazê-Lo sair de Sua reclusão, a fim de que se coloque novamente à frente das sociedades cristãs, para dirigi-las e salvá-las; é mister reconstruir-Lhe um palácio, um trono real, uma coorte de servos fiéis, uma família de amigos, uma multidão de adoradores.

O culto da exposição é necessário para despertar a fé adormecida em tantos homens de caráter que não conhecem mais Jesus Cristo, porque se esqueceram de que Ele mora na vizinhança, de que é amigo e Deus deles. Esse culto é necessário para estimular a verdadeira piedade, retida desde muito na porta do santuário onde Jesus está sempre disposto a nos abençoar e nos abrir Seu Coração.
O grande mal de nossa época é não dirigirem a alma a Jesus Cristo como a seu Deus e Salvador. Despreza-se o único fundamento, a lei única, a graça única de salvação.

O mal da piedade estéril é que ela não parte de Jesus Cristo e não converge para Ele. A alma se detém no caminho, distrai-se com uma flor… O amor divino não tem sua vida, seu centro, no Sacramento da Eucaristia, e, portanto, não está em suas verdadeiras condições de expansão. Somente em Jesus Cristo, presente entre nós, pode haver salvação. O mal é tão grande que somente Ele é capaz de nos salvar. É a batalha decisiva. Um santo, um anjo, um taumaturgo, um gênio, um grande orador, tudo isso é ineficaz. É necessário Jesus Cristo em Pessoa: eis o Santíssimo Sacramento, Seu combate e Seu triunfo.